Brasília

-

Hoje

30ºC

15ºC

Amanhã

30ºC

15ºC

IBOVESPA | -0,06% (102.117,79 pontos)

Compre do pequeno:‘Temos produtos de qualidade com preço justo’, diz Refrix

Fábrica pede apoio de consumidores para que empresas mantenham empregos da população

Por Portal de Bebidas Brasileiras| 07/05/2020

Tamanho da Fonte

A- A+

“As empresas regionais fabricam produtos diferenciados, de alta qualidade, e, o principal é que os produtos são comercializados por um preço justo”, destaca Anderson Roberto, do departamento comercial da Refrix Envasadora, que produz as marcas Xereta de refrigerantes, Vittal sucos e água de coco e V12 energético. A direção da Refrix considera importante que os consumidores valorizem as marcas regionais para que as pequenas e médias empresas mantenham empregos, permitindo que a economia local não seja tão afetada durante a pandemia do novo coronavírus no Brasil. O negócio fica em Tietê, a cerca de 120 quilômetros de São Paulo.

O departamento comercial da Refrix afirma que as vendas caíram cerca de 30% durante o período da pandemia. A fábrica paulista, assim como outras pequenas e médias empresas de bebidas associadas da Afrebras (Associação dos Fabricantes de Refrigerantes do Brasil), fortalece a campanha “Compre do pequeno”. A mobilização busca a valorização de empresas regionais, principalmente durante a crise provocada pela pandemia da covid-19 no Brasil.

Reorganização da empresa

As primeiras ações foram tomadas pelo governo no início do mês de março, depois dos primeiros casos confirmados de pessoas infectadas pelo vírus no Brasil. A administração da Refrix destaca que, assim que os decretos foram publicados, a empresa reforçou medidas emergenciais para tentar seguir as atividades na indústria.

“Cada gestor fez uma revisão detalhada no plano de 2020 por um período de seis meses, visando diminuir ao máximo o impacto nos diversos departamentos da empresa”, informa a direção. “Houve elaboração de um comunicado a todos os clientes divulgando os canais de atendimento através de televendas e informando que a equipe comercial continuaria atuando com visitas presenciais e através do telefone, seguindo as recomendações de proteção individual dos órgãos competentes”, continua.

Além desses procedimentos, a indústria revisou todos os contratos com fornecedores e reduziu 50% da jornada de trabalho e o salário de colaboradores durante 90 dias, de acordo com as normas da Medida Provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro. Apesar da redução no horário de expediente, a equipe de trade marketing está focada em ampliar a exposição dos produtos com pontos extras para maior visibilidade da linha de bebidas.

A Refrix Envasadora, além de refrigerantes em embalagens pet, também produz em lata – Foto: Divulgação

A empresa informa que também intensificou a comunicação com o público através de redes sociais, como Facebook e Instagram.

Impactos da crise no faturamento

O departamento comercial afirma que a redução significativa na receita da empresa foi provocada pela queda na distribuição numérica, em virtude dos pontos comerciais que se encontram fechados.

Além das dificuldades nas vendas, a produção também foi prejudicada pelos decretos. Em razão das constantes mudanças no valor do dólar comercial, alguns fornecedores de matéria prima precisaram reajustar o preço, o que, segundo a direção, prejudicou o controle dos estoques de insumos.

“Temos a expectativa de que os governos estaduais e municipais liberem o quanto antes o funcionamento de todo o comércio, para que a retomada da economia aconteça de forma gradativa”, afirma a diretoria.

A Covid-19, que é provocada pelo novo coronavírus, já tem quase 116 mil casos confirmados no Brasil e mais de 7 mil mortes. Devido à alta propagação do vírus, governantes de vários estados brasileiros decretaram isolamento social e fechamento de diversos pontos de comércio, o que provocou queda na produção industrial e no faturamento das empresas brasileiras de refrigerantes.