Brasília

-

Hoje

27ºC

10ºC

Amanhã

24ºC

10ºC

IBOVESPA | -1,24% (85.866,76 pontos)

Fundadora da Fest Bebidas conciliava dedicação entre fábrica e educação

Família Kearcher comemora 24 anos da primeira produção da empresa, no Rio Grande do Sul

Por Portal de Bebidas Brasileiras| 11/03/2020

Tamanho da Fonte

A- A+

“Minha mãe dividia seu tempo entre duas paixões: a fabricação de bebidas e a educação”, conta o diretor executivo da indústria Fest Bebidas, Alberto André Kearcher, sobre Ana Maria Kearcher, fundadora da empresa. Formada em pedagogia, a empresária de 65 anos chegou a se dividir entre dedicação à fábrica da família e a profissão como educadora. A empresa está localizada em Venâncio Aires, a cerca de 150 quilômetros de Porto Alegre.

Associada da Afrebras (Associação dos Fabricantes de Refrigerantes do Brasil), a indústria é uma expansão de um negócio familiar que gerou outras duas produtoras de bebidas no Rio Grande do Sul. A fábrica comemora seu aniversário em 11 de março, dia que marcou a primeira produção de refrigerantes da empresa, no ano de 1996.

Frente da fábrica Fest Bebidas, em Venâncio Aires – Foto: Arcevo da empresa

Fundação

A diretora operacional e fundadora da Fest Bebidas, Ana Maria, é membra de uma família que, desde 1960, já atuava na fabricação de bebidas na cidade de Santa Cruz do Sul, a 155 quilômetros de Porto Alegre. Com objetivo de expandir o negócio, ela decidiu criar uma indústria de refrigerantes própria.

Acompanhada por seus filhos Alberto André, de 40 anos, e Ruy Carlos, 38, ela deu início ao projeto Fest Bebidas em janeiro de 1995. Na época, Ana ainda equilibrava o sonho de empreender com a profissão de educadora, trabalhando na fábrica durante o dia e como coordenadora do colégio Estadual Santa Cruz à noite.

“Minha mãe dividia seu tempo entre duas paixões: a fabricação de bebidas e a educação. Ela começou a tirar sua primeira nota [dinheiro] trabalhando com seus irmãos aos 12 anos de idade na indústria da família. Por mais que ela também optasse por seguir outra profissão, sempre manteve contato com a indústria”, disse Alberto, relembrando a trajetória da mãe.

Diretor executivo, Alberto André Kearcher, posa para foto com refrigerantes da Fest Bebidas – Foto: Arcevo da empresa

Os dois filhos de Ana Maria colaboram com a empresa desde o início do negócio. Ruy Carlos é diretor de vendas e Alberto André exerce o cargo de diretor executivo.

“Meu irmão e eu já tínhamos experiência desde a infância, porque participamos dos processos na indústria que nossa mãe trabalhava. Quando não obtive êxito em vestibulares de medicina, não conseguia me imaginar em outra área, a não ser na indústria de bebidas”, afirma Alberto, sobre o momento que escolheu se tornar empresário de bebidas, em 1998.

No início, empresa gaúcha chegou a ter 30 colaboradores, mas as dificuldades tributárias e concorrenciais acarretaram na redução do quadro. Hoje o negócio conta com oito colaboradores.

Produtos

A Fest Bebidas tem linha de refrigerantes nos sabores guaraná, cola, uva, limão, laranja e pomelo, no volume de 2 litros. O destaque da produção é o sabor guaraná, que conforme informa o diretor executivo, chega a representar cerca de 70% do faturamento entre os produtos da empresa. A empresa distribui para cerca de 60 municípios no Estado no Rio Grande do Sul.

Refrigerantes Festerê Fest nos sabores laranja, guaraná e limón – Foto: Arcevo da empresa

 

O alcance da distribuição chega ao Uruguai, país que faz fronteira com o Brasil. “Distribuímos exclusivamente para o Rio Grande do Sul. Os uruguaios aproveitam a proximidade e compram nossos produtos através de distribuidoras do Estado”, explica. “Para nós, isso é motivo de orgulho. Por mais que não seja exportação direta, conseguimos ter alcance internacional”, ressaltou Alberto, que também é formado em administração.

Qualidade dos sabores e investimentos

O diferencial dos produtos da Fest Bebidas em comparação com outras empresas, segundo o diretor executivo, é a qualidade dos sabores. “Seguimos sempre um padrão que é elogiado pelos consumidores. Procuramos estabelecer a mesma composição para todos os refrigerantes, para que o público não se depare com produtos de gostos diferentes”, destacou.

No início dos anos 2000, a empresa gaúcha investiu em sopradoras automáticas (máquinas que fazem parte do processo de produção), transformando a preforma plástica em garrafas pet prontas para envase. Alberto afirma que foi uma novidade para indústrias de bebidas da região. “Esse investimento contribuiu com melhoras na performance de fabricação e distribuição dos produtos. Na época, conseguimos ligeiramente equiparar o custo do investimento com o retorno financeiro obtido através das vendas”, relembra o empresário.

Projeto África e América do Sul

A Fest Bebidas tem projetos popularizar a marca na América do Sul e também estuda exportar para o continente africano. “Estudamos a possibilidade de distribuir nossas bebidas para a África. Acreditamos que lá encontraremos um mercado promissor. Ainda precisamos estabelecer relação com representantes de países africanos para montarmos estratégias”, revela o executivo.

O diretor também anuncia que o interesse da empresa é iniciar as exportações nos dois continentes ainda este ano, mas também pondera que os estudos sobre as distribuições estão sendo feitos com cautela.