Brasília

-

Hoje

26ºC

19ºC

Amanhã

27ºC

19ºC

IBOVESPA | -3,17% (96.452,44 pontos)

Em live, Bolsonaro diz que expressão ‘tomar tubaína’ remete à confiança

Sabor brasileiro foi citado em declaração do presidente sobre escolha do novo ministro do STF

Por Portal de Bebidas Brasileiras| 13/10/2020

Tamanho da Fonte

A- A+

O presidente Jair Bolsonaro voltou a ressaltar que a escolha do novo ministro do STF (Supremo Tribunal Federa) foi baseada na afinidade da relação entre os dois, marcada pela bebida tubaína. Em live, Bolsonaro disse, no último sábado (10), que a definição da expressão “tomar tubaína” se refere a alguém de confiança com quem possa conversar sobre vários assuntos enquanto compartilham o refrigerante.

Durante a gravação ao vivo, Jair Bolsonaro explicou o critério para escolher o desembargador Kássio Marques para o cargo no Supremo. “Ele tem que ser independente, tudo bem, mas tem que ter essa afinidade comigo. E ele [Marques] tem, através da tubaína ou da Coca-Cola”, afirmou ele. “Se a gente está tomando refrigerantes juntos, é porque temos coisas em comum para discutir, como a questão do aborto, família, armamento, política externa”, destacou. Confira, abaixo, trecho com declarações do presidente:

No dia 1º deste mês, o presidente da República citou preferência por tubaína ao confirmar a indicação de Marques para o STF. “Conheço ele [Kássio Marques] já há algum tempo. Já tomou muita tubaína comigo”, disse Jair Bolsonaro, na ocasião.

Após a declaração de Bolsonaro admitindo gosto pela tubaína, fábricas de bebidas regionais se mobilizaram para pedir o fim da alíquota do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para indústrias de concentrados para refrigerantes instaladas no Polo Industrial de Manaus. Vence em 30 de novembro o decreto que concede incentivos fiscais para essas empresas.

O sabor da tubaína é valorizado pela Afrebras (Associação dos Fabricantes de Refrigerantes do Brasil) no concurso Os Melhores Sabores do Brasil. A competição nacional é realizada a cada dois anos pela associação, durante o Confrebras (Congresso Brasileiro de Bebidas). As inscrições para a próxima edição estão abertas.

Tipicamente nacional, o refrigerante é feito de guaraná com tutti-frutti e também mobiliza uma grande luta pela valorização de bebidas verdadeiramente brasileiras, com o fim dos incentivos fiscais na Zona Franca de Manaus. Só no Brasil, existem pelo menos 25 marcas de tubaína em produção no atual momento.

A tubaína é vendida, tradicionalmente, em garrafas de 600 ml retornáveis. De baixo custo, o refrigerante se tornou sinônimo de produto popular junto com o tradicional pão com mortadela, que era o embutido mais em conta existente quando a bebida foi criada.